Pipoca, Refri e Netflix #02 - Sherlock

Hey pessoal, tudo bem? Prontos para mais uma indicação?

Na coluna da semana passada - confira aqui -, testamos para vocês a série A Mulher Biônica e deixamos 4 opções de séries e filmes das quais vocês votariam qual seria nosso próximo teste, e a mais votada foi... Sherlock. Trouxemos para vocês uma análise geral da primeira temporada, que conta com apenas 3 episódios de mais ou menos uma hora e meia cada um, então peguem sua pipoca, seu refri, e apertem o play. 


Sherlock é uma série britânica, transmitida pelo canal BBC One, que atualmente está em hiato, ou seja, estamos aguardando a 4ª temporada, que além dos 3 episódios usuais, contará também com um especial de Natal. Como já devem ter percebido - Capitão Óbvio mandou lembranças - a série é inspirada nos clássicos de Sir Arthur Conan Doyle, trazendo à vida um dos personagens mais consagrados da literatura mundial - e detetive mais famoso do mundo -, bem como seu fiel companheiro, Dr. Watson, em uma releitura atraente, inteligente e moderna.


Na série, Dr. John Watson servia o exército britânico como médico quando foi atingido na perna por uma bala. resultando em um mancar psicológico em sua perna direita e tremores nas mãos, momento em que foi diagnosticado com transtorno pós traumático e depressão. Por não conseguir um emprego, não pode pagar sozinho por um aluguel, sendo assim, um amigo o apresenta a Sherlock, que também estava procurando alguém com quem dividir o aluguel.

Mesmo sem conhecê-lo, Sherlock deduz corretamente varias características e fatos do passado de Watson com apenas um olhar, deixando-o intrigado. Nessa versão, nosso protagonista não é um detetive, mas sim, um consultor que a Scotland Yard - sede da Polícia Londrina - solicita ajuda quando não conseguem resolver um caso sozinhos. Por prestar serviços gratuitos, se divertir com a complexidade dos crimes não desvendados e deduzir diversos aspectos impensáveis sobre a vida particular das vítimas, o detetive é visto por vários membros da polícia como um psicopata, o que torna a série ainda mais interessante.

Sherlock e Dr. Watson em um dos endereços mais famosos de todo o mundo.

Holmes não é a pessoa mais fácil de se lidar por ser extremamente impulsivo, mas é exatamente por isso, e por seu brilhantismo, que Watson fica embasbacado e se vê completamente envolvido em suas aventuras, tão envolvido que em uma perseguição, ele esqueceu que "mancava" - afinal, era psicológico - e saiu correndo atrás de um Táxi.

Essa nova roupagem trazida pela BBC deixou a trama muito envolvente, apesar de eu ainda preferir Elementary, a adaptação americana das aventuras de SK, tendo a Lucy Liu no papel de Watson. Cada temporada possui um intervalo de mais ou menos 2 anos entre si, pois os produtores possuem projetos paralelos em andamento, fazendo com que os fãs fiquem arrancando os cabelos da cabeça de desespero para que lancem novos episódios.

Prós

  • Sherlock é jovem, dinâmico e extremamente inteligente e perspicaz, fazendo com que cada dedução sua, seguida da explicação em como chegou a tal conclusão, deixe o seriador alucinado e se perguntando " como não percebi isso antes?"
  • Watson não é tão secundário como as demais adaptações gostam de apresentar. Mesmo com Sherlock no papel principal, ele desenvolve seu trabalho de forma brilhante e sempre ajuda nos casos. 
  • A contemporaneidade, ou seja, não temos aquelas longas descrições da Era Vitoriana, bem como sua ambientação. No lugar, nos é apresentado crimes atuais nos quais os vilões usam da tecnologia, química e física para cometer atrocidades em nível internacional. 
  • Ótima trilha sonora. 

Contras

  • Apenas 3 episódios por temporada.
  • Espaçamento muito grande entre uma temporada e outra, o que faz com que o seriador tenha que rever os episódios anteriores para lembrar o que aconteceu.
  • O personagem, ao dar as explicações de suas deduções, fala MUITO rápido, o que pode fazer com que quem não tenha o hábito da leitura tenha que ficar dando pause para conseguir ler tudo o que ele fala sem se perder. 


Então pessoal, ficaram com vontade de ver? Quem quer ver uma história com uma repaginada ainda maior também pode conferir Elementary, da CBS, pois lá os personagens foram completamente transformados, a começar por Watson, que é mulher. O tema escolhido para a postagem da próxima semana foi... Viagem no Tempo! #CoroDeAleluiaNerd

Testa Para Mim?





Um grupo de terroristas fanáticos escapa de sua execução no ano de 2077 e voltam no tempo até o ano de 2012. Cabe a dedicada policial Kiera Cameron a difícil tarefa de recapturá-los.
Kiera acaba presa no passado, sem conseguir voltar para seu marido e filho, e se concentra em caçar os criminosos antes que eles façam muitos estragos no nosso presente.
Ela recebe a ajuda inesperada de um jovem gênio da informática e se passa por uma policial local, onde acaba fazendo uma complicada aliança com seu novo parceiro, o detetive Carlos Fonnegra.





Na madrugada do dia 25 de outubro de 1985, Marty encontra seu amigo, o cientista Dr. Emmett Brown, no Twin Pines Mall às 1:15 a pedido do Doutor. Lá, ele revela ao rapaz um DeLorean DMC-12 modificado para tornar-se uma máquina do tempo; o deslocamento temporal do veículo, que é acionado quando a máquina atinge 88 milhas por hora de velocidade, é providenciado por um aparato chamado "Capacitor de Fluxo", que exige 1,21 Gigawatt providenciados por fissão nuclear. Para conseguir o plutónio que abastece o reator, o Doutor enganou um grupo de terroristas líbios que queriam que ele construísse uma bomba nuclear. Após um teste com seu cachorro, Dr. Brown se prepara para viajar para o futuro, quando os líbios aparecem e matam o cientista a tiros de metralhadora. Indefeso, Marty tenta escapar no DeLorean, porém, durante a fuga, acidentalmente aciona o capacitor de fluxo e, ao alcançar a velocidade de 88 milhas por hora, é transportado para 5 de novembro de 1955, uma data que o Doutor havia programado nos instrumentos de navegação do DeLorean como um exemplo. Sem força, o carro eventualmente se desliga sozinho e Marty agora encontra-se preso em 1955.



Juntamente com seus alunos e filho, o Prof. Johnston (Billy Connolly) está em meio a escavações em um sítio arqueológico na França. Desconfiando das intenções da patrocinadora da expedição, a International Techonology Corporation, o professor decide ir até a sede da empresa, para obter algumas respostas. Seus alunos continuam em meio às pesquisas, até que descobrem uma câmara mortuária que esteve fechada por mais de 600 anos. Ao abri-la eles têm uma grande surpresa: encontram em seu interior uma lente bifocal, objeto que sequer havia sido inventado quando a câmara foi lacrada, e uma carta do próprio professor pedindo ajuda. Decididos a desvendar o mistério, eles partem rumo à sede da ITC, onde descobrem que a empresa está trabalhando em uma máquina que pode transmitir objetos tridimensionais pelo espaço. Porém a máquina abriu uma fenda no tempo, queleva diretamente ao século XIV. Após saber da novidade, o professor decidiu experimentar a nova invenção e acabou preso em uma guerra feudal entre ingleses e franceses. Para resgatá-lo seus alunos e filho terão também que viajar no tempo.



O programa começa em 2149, uma época quando toda a vida na Terra está ameaçada de extinção por um colapso natural, substâncias tóxicas, ar poluído, chuvas ácidas, lixo e etc. Em um esforço para salvar a espécie humana, cientistas descobriram acidentalmente uma maneira de viajar no tempo permitindo que pessoas viajem para 85 milhões de anos no passado, para o meio do período Cretáceo da Terra pré-histórica. A família Shannon (o pai Jim, sua esposa Elisabeth e seus três filhos, Josh, Maddy e Zoe) se juntam a décima peregrinação de colonos para a Terra Nova, a primeira colônia humana. Entretanto, eles não sabiam que a colônia foi estabelecida em território hostil e com muitos inimigos a frente que querem ver a colônia desabar, arriscando suas vidas pela prosperidade da raça humana e mudança dos atos ocorridos, para que o mundo não seja o que era antes.
Em 2149, cada família pode ter apenas dois filhos por causa da lei "A Family is Four" (Uma Família São Quatro Pessoas, português), que tenta evitar que a raça humana venha à extinção. Violando essa lei, Jim Shannon vai à prisão porque foi descoberto que havia tido um terceiro filho e estava escondendo-o.
Opondo-se a colônia e seu líder, o Comandante Nathaniel Taylor, um grupo de separatistas conhecidos como os "Sextos", assim chamados porque chegaram na "Sexta Peregrinação", trabalham junto com empresários corporativos e com o filho alienado de Taylor, Lucas, em um esforço para retirar os recursos da antiga Terra e enviá-los para 2149.